A Casa da Memória de Guaranésia


 

Casa da Memória de Guaranésia

Introdução:

Encontros Culturais e Cultura para todos

A cultura sempre teve um papel que se destacou  no desenvolvimento de Guaranésia. Ela foi um dos setores a dar visibilidade regional à cidade,  na área cultural nas décadas de 1980, 90 e a partir de 2000 com novas ações e iniciativas ousadas nas áreas artisticas e cultural.

A partir de 1985 e principalmente na década de 90 foram promovidos em Guaranésia  os Encontros Culturais, que durante dez anos (1985/95) tentou manter-se fiel à a proposta de Cultura para todos, na tentativa de sensibilizar a sociedade e buscando sua atenção para o apoio as artes e os artistas do município.

Essa sensibilização teve o primeiro resultado em 1988, com a inauguração do Centro Cultural Profa. Fernandina Tavares Paes, pela Prefeitura Municipal que desapropriou o desativado cinema São José.  Por sua arena passaram artistas locais de várias tendências, peças de teatro experimental,  exposições de arte, shows, filmes,  etc.

Em setembro de 2001 nascia oficialmente, a Casa da Memória de Guaranésia.  Ambos, Casa da Memória e Centro Cultural foram criados com o fim de promover a história e a cultura e atuar como agente facilitador  para a produção artística da cidade.

Os equipamentos culturais da cidade Casa da Memória e Centro Cultural são administrados pela Prefeitura Municipal de Guaranésia.

O uso das novas tecnologias em rede, das novas formas de ver e interagir com objeto que antes encontrava-se somente no museu, agora circula e repercuti num novo universo, virtual e dinâmico .

Criamos  em 2006 a versão virtual do museu com o Guaranésia Memórias,  blog que promove a interação entre os cidadãos ligados a Guaranésia e sua história.

——–XXXX——–

O Museu e sua Função Cultural

prof. Ivan David*

* Prof. Ivan Soares David, museólogo co-fundador  da Casa da Memória de Guaranésia

Anúncios

55 comentários

  1. parabéns aos idealizadores da casa da memória de guaranesia, meu nome é Marcial meu apelido era “cabinho”tive um infância muito humilde em guaranesia, fui criado na rua Barão do Rio Branco meu pai na época era o comandante do destacamento Policial conhecido Cabo Dito, minha mãe cantava no coral da “Diva”,acredito que poucos lembram dos meus pais ou de mim, mas foi muito prazeroso ouvir historia do povo de guaranesia, de uma forma ou de outra faço parte tambem da historia de guaranesia , até hoje quando pergunta de onde eu sou eu digo com carinho “sou de guaranesia com orgulho” Hoje Moro em Muzambinho aqui pertinho e trabalho em Guaxupé sou 3 sargento pm da Policia ambiental . abraço a todos

  2. Olá Boa Noite!!! Me chamo Meire estou procurando uma amiga de minha mãe que é de guaranezia, estive uma vez aí no ano de 1970 nao me lembro o nome da rua, só me lembro que no final da rua que era lá no alto tinha uma fabrica toda de tijolinhos a vista, o nome dessa amiga era Tianinha , ela tinha um problema na perna, e usava bota ortopedica, e tinha uma irma que se chamava laurinha!!! se alguem conhecer e souber do paradeiro delas por favor me informe, minha mae esta com 91anos e se Chama Cecilia e tem saudades dela. meu email para contato é Mary.dom@ig.com.br. Muito obrigada a todos!! fiquem na Paz!!!

  3. Recado para Jocelem. Olá, sou Marcia, nasci em Guaranesia em 1960 e morei na Várzea até janeiro de 77′ quando vim pra Cuiabá. Quem trouxe a nossa mudança foi o Silvinho Araújo e a esposa dele, também veio em Cuiabá, nao lembro se quando da mudança ou após. Li em outra publicação sua que ele seu parente. Caso voce os vejam ou tenha contato, gentileza enviar saudações de Cuiabá, sou filha do sr.Sebastiao Medeiros, meu irmao e Marcelo e minha mae D.Jorgina. Acredito que ele lembra muito de nos. E temos saudades dele. Como a gente gostava dele. Era muito bacana. Nosso telefone 65-3661.7657. Grata e até um próximo contato dessa querida cidade de Guaranesia.

  4. Olá Márcia sou irmã do Zé Vila lembra?
    Li seu comentário por acaso,fiquei muito feliz….
    A saudade é muito grande daquele tempo maravilhoso que vivi .
    Moro em São Bernardo do Campo desde 70.
    Aquí me casei constituí familia e sou avó.
    Mas não esqueço dos momentos felizes que passei naquele lugar!!!
    Saudades do vai e vem na praça dos namoros do cinema da banda.
    Tenho saudades da sua mãe.
    Mande notícias.Bjos até!!!

    1. Oi, Rosa, nem posso exprimir a alegria que sinto em ter esse contato com quem tanto estimamos. Lembro sim, do Zé Vila. E tenho saudade daqueles tempos, de todos vocês.Tivemos uma infância um tanto conturbada, infelizmente porque meu pai bebia muito e nos fez sofrer, tanto, tanto, que ja se passaram mais de trinta anos e as vezes temos pesadelos, eu e minhas irmãs. Quanto à minha mãe, ela quase não se lembra mais, está com Mal de Alzheimer e Síndrome de Parkinson. As vezes choro sozinha, lembrando tudo o que ela passou, em Guaranesia e em Cuiaba, e se não fossem vocês, fazendo parte da vida dela nem sei o que seria de minha querida mãezinha. Mas dou graças a Deus por tudo, nós estamos bem. Todos nós. Ano passado tomei a decisão de aposentar e sair para cuidar dela e de meu filho que tem 29 anos e não anda e nem fala, é especial. E especial para nós, é um anjo que nos foi enviado para aumentar o amor, a paciência, a caridade. Não dá um pingo de trabalho, sorri o dia todo, come bem, é muito tranquilo. Sei que não posso reclamar, mas fico um pouco triste de ver minha mãe assim, uma mulher que trabalhou tanto, sofreu para nos criar, ajudou criar os netos e agora a gente ver essa situação e não poder fazer quase nada. Todos os dias dou banho nela e um pouco de lucidez que lhe vem ela fala que sente vergonha. Tenho uma filha ANA CLAUDIA, de 26 anos que também é bancária. Não me dá trabalho e é muito querida por todos. Falando de Guaranésia, nunca vou esquecer a praça, que tive o prazer de ficar dando voltas, sentido contrario dos rapazes, ouvir as músicas, tomar banho nos rios, e brincar com minhas inesquecíveis amigas da Várzea. Olha, em abril deste ano passei 02 dias em Guaranesia, mas não consegui encontrar quase ninguem. Só a Soninha do Celeirinho e a Marta, do seu Tunico, que abriu agora um restaurante no mesmo lugar, em frente minha casa na Varzea. Ainda tem parentes seus lá? Olha, se um dia tiver oportunidade de vir à Cuiabá, nos procure. Meu telefone é 65-3661.7657. Mataremos um pouco a saudade. Um abração, Márcia.

    2. Cara Rosa. Fiquei tão feliz hoje, porque minha mãe que esta com Alzheimer lembrou tanto de voce, do Zé Vila e acho que e sua tia Yvany, perguntou dela. Começou chorar, esta tao magrinha e os remédios que toma pra Parkinson deixam ela mais fraca e nao agüenta tomar vitaminas. Ela achou que vocês estavam vindo pra vê-lá e nao havia meio de conformar com minha explicação de que apenas havia achado vocês na Internet. Quem sabe um dia vocês possam vir. Minha irmã Eloisa mora em S.Jose dos Campos e os outros Marcelo, Eunice e Neuza moram em Cuiabá. Um abraço, e tudo de bom pra vocês. Voce lembra de mim e dos meus irmãos?

      1. Querida Márcia,são muitas recordações…
        Sua mamãe…sinto que os anos não passaram!!!
        As lembranças estão vivas em minha memoria.
        A Jorgina era muito amiga e confidente.
        Sempre contava para ela tudo que acontecia comigo e ela me aconselhava como uma mãe que eu não tinha.
        Perdi minha mãe com 15 anos e foi muito difícil.
        Mas Graças a Deus estou eu aqui lembrando-me desse passado incrível e maravilhoso de muitos sonhos.
        Saudades do povo da várzea da d. Luzia do Zé Vieira que bebia muito,enfim saudades de todos.
        sr. Milton e d. Antonia mãe da Janete faleceram a alguns anos.
        Batizei a Rosangela,eles moram em Cássia Minas Gerais.
        O ZÉ meu irmão mora em Guaxupé ele fala que sempre ve o Moacir seu tio.
        Tenho uma irmã que mora em Guaranésia,pretendo ir lá pois ela se encontra doente ela mora na Várzea tem alguns anos.
        Enfim estou feliz por ter te reencontrado depois de muitos anos e podermos conversar sobre o nosso passado.
        Tenho saudades da minha amiga Tianinha do sr. Juca da Ponte,eramos
        como irmãs.
        Marcia vou parando por aqui,fique com Deus uma outra hora conversamos,beijos para sua mãe vou orar por ela.
        Beijos no seu coração!

    3. Rosa, ontem o Zé Vila me ligou e conversamos. Fiquei muito contente. Saúdo com a paz de Deus. Somos também da Congregação-CCB. Temos muito que conversar. Assim que possível, entre em contato comigo. Fiquem com Deus.

  5. esta casa é onde eu passei lonfggos anos deminha infancia e adolescente …MInha tia Jusuina Dias Ribeiro ( Tia Dita )morou nela … ainda não puide ir ver a casa agora mas sei que ficarei muito mas muito emocionada …Parabéns pelo site .Miriam Pereira

  6. Parabens Sr. Ivan por este trabalho tão lindo. Por favor gostaria que me informasse se na cidade tem alguma familia Zerbini. Estou precisando urgentemente de um contato. Sabe Sr, Ivan estou na procura dos meus antecedentes e a informação que tive que viveram na cidade de Guaranésia. Aguardo seu retorno.
    Abraço.

  7. Os meus pais casaram-se em Guaranésia nos idos de 1940. Ele chamava-se José Lino Custódio e era filho de Lino Custódio e Maria Rita Benjamim, ela era filha do Italiano Pedro Baldi e de Laura Cândida de Jesus.
    Quem celebrou o casamento foi na época o Pe. Ricardo.

  8. meu nome jurema de souza dias, filha de jose de souza dias nascido na cidade de machado pertenceu a uma família tradicional souza dias, tendo escolhido para ser padre fugiu do seminário não tendo mais contato com ningém vindo para o rj casou com minha mâe, nome de meus avós paternos; Norato de souza dias e idalina candida de jesus

  9. CIDADE MARAVILHOSA,SÓ FIQUEI TRISTE POIS CONHEÇO FAMÍLIAS QUE MARCARAM HISTÓRIA E NEM SE QUER FOI CITADA.GOSTARIA DE SABER QUAL FOI O CRITÉRIO PARA SELEÇÃO DAS FAMÍLIAS GUARANESIANAS .

    1. Prezada Vania, bom dia.
      Informamos que esse blog Guaranésia Memória é construído com o apoio e colaboração dos cidadãoes e das famílias. Não tempo um critério de seleção. Basta ser guaranésia, basta a sua família ser ou ter vivido lá. Para publicarmos sobre a sua família precisamos que vocês nos enviem fotos, textos (resumo histórico da família e seus descendente) e publicamos.
      No aguardo.
      Att.
      Ivan

      1. Concordo plenamente contigo. Meus pais fizeram histora em Guaranésia, meu pai construiu 50% dos túmulos do cemiytrio de Guaranésia. Ele era conhecidissimo. Nosssa famila é bastante grande . Papai construiu muitas casa e ainda hoje tenho meu tio Joaquim de Oliveira que esta com mais de 90 anos e trabalhou a vida toda nesta cidade e infelizmente nunca foi mensionada nada a seu respeito. Aginal minha familha ajudou a formar a historida da minha querida Guaranésia, tambem gostaria de saber qual foi o criterio usado ????.

      2. Vania e Jocelem, quando tomei conhecimento deste blog, imediatamente tomei as providências necessárias para encaminhar as ´histórias de minha familias, materna e paterna para publicar,.escrevi os textos, juntei as fotos e enviei ao Prof. Ivan… Veja as paginas: Familia Cesário da Silveira e Familia Vila. Vocês podem fazer o mesmo, tenho certeza que serão histórias lindas!
        Abraços Yvany
        email yvanyvila@terra.com.br

  10. A idéia da criação da Memória é de grande importância. Parabéns Prof. Ivan David. Aqui se pode registrar não só os acontecimentos da cidade, mas também a memória de seus filhos ilustres.
    Estou realizando uma memória do Professor José de Paula Lopes Pontes, nascido a 02/11/1912, no Município de Guaranéia. Filho de José Lopes Pontes e Calpurnia de Paula Pontes. No Rio de Janeiro, tornou-se médico aos 21 anos de idade, portanto em 1931, foi uma personalidade brilhante. Professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, organizador e diretor do Hospital Universitário. Membro da Academia Nacional de Medicina. Gostaria se pudesse me ajudar com algumas informações acerca da época como se encontrava o Município, décadas10/20. Contando com sua colaboração atenciosamente, Fábio Cupertino Morinigo. Meu correio eletrônico: morinigo@terra.com.br

  11. Gostaria de saber se a historia sobre o cachorro que ficava seguindo as pessoas acabavam morrendo, é verdade? Segundo as informações, foi publicado nos jornais da cidade e em Campinas há alguns anos atrás, e foi dado o nome a rua em homenagem ao cachorro (rua dos cachorros).

      1. Caro Ivan
        Parabens pelo trabalho de divulgacao das “coisas e pessoas de Guaranesia”. Tenho feito alguns comentarios dentro das paginas: Grupo Escolar, Antigo Matadouro, Santa Casa, Estacao; mas tenho observado que por algum motivo, nao estao lendo ou respondendo, pois nao obtenho respostas das pessoas a quem tenho tentado entrar em contato. Mas nao tem problema, deve ser falta de tempo. Lembrei-me que meu pai – Sr. Sebastiao – TRAIA – que tinha venda na Varzea, perto da ponte, nos fazia rir, apesar das circunstancias, mas toda vez que tinha enterro, o povo passava carregando o caixao, e juntava muita gente, e meu pai falava: aposto que e homem que morreu, porque mulher nao morre nem matando. E claro, a maioria era homem mesmo. E como a gente era crianca so achava engracado sem pensar na dor dos familiares e amigos. Um abraco, Marcia

  12. Quando os inventarios que estão se perdendo no Forum de Guaranésia seram repassados para a Casa de Memoria ? nos iremos perder uma importante fonte de pesquisa .

    1. Willian, boa tarde. como vai?
      A Maria José (Zerbini) procura os seus antepassados.’Você tem alguma coisa? Estou enviando o que tenho aqui.
      abs Ivan

      Maria José
      mariajosez@hotmail.com
      200.233.151.28
      Enviado em 20/08/2012 as 12:20 pm

      Parabens Sr. Ivan por este trabalho tão lindo. Por favor gostaria que me informasse se na cidade tem alguma familia Zerbini. Estou precisando urgentemente de um contato. Sabe Sr, Ivan estou na procura dos meus antecedentes e a informação que tive que viveram na cidade de Guaranésia. Aguardo seu retorno.
      Abraço.

      1. Cara Maria José

        O meu banco de dados de Guaranésia não tem o sobrenome Zerbini.

        mas isto não significa que eles não sejam de Guaranésia

        A Senhora teria primeiramente definir o período da pesquisa, ( qual ano ?)

        Apos 1890 ja existe dados no Cartório de Guaranésia, que eu não tenho acesso, o e mail para contato da Sra. Mariana é cartoriocivilguaranesia@yahoo.com.br

        outra opção e procurar no livro da igreja de Guaranésia que esta no site dos Mormons, abaixo o link

        https://familysearch.org/search/image/index#uri=https%3A%2F%2Ffamilysearch.org%2Frecords%2Fwaypoint%2FMMPL-BYT%3An1415500262%3Fcc%3D1719212

  13. Prof. Ivan!
    Se tudo correr bem quero estar em Guaranésia no mês de Junho para participar da festa de Santo Antonio, pois desde que mudei da cidade não voltei mais nessa época ( olha que já faz um tempinho ).
    Uma pergunta, a Casa da Memória fica na praça da Matriz?
    Pretendo visitá-la.
    abs.

  14. Prof. Ivan
    Boa tarde.
    Estou impressionado com a qualidade e o conteúdo desse site. Coisa de profissional!
    Ainda não conheço a Casa da Memória, mas não vejo a hora de retornar à Guaranésia para conhecê-la.
    Fiquei muito feliz ao ver a foto e também documentos do meu avô Synesio no link “Prefeito Synésio Pinheiro da Silva”.
    Já enviei aos meus parentes e gostaria de saber se alguém se lembra dele ou dos seus filhos (que são meu pai e meus tios), para eu poder saber mais coisas a respeito deles.
    Meu avô faleceu, se não me engano, em 1.965, mas lembro bem dele, que deixou em nós muitas saudades, pois era um homem muito bom.
    Abraços a você e a todos que participam.
    Synesio Neto

  15. Parabéns pelo site,Guaranésia merece este carinho!Que por aqui ainda se escrevam muitas histórias de sucesso desta cidade tão querida!É o que desejo de coração!!!!

  16. Nossa que bom encontrar que queira preservar a memória.
    Meus avòs são de Guaranésia
    Avô João Claro da Silva filho de José Claro do Amor e Vitoria Maria da Conceição ele nascido em 1883.
    Avó Antes de Casar Maria Luiza de Jesus filha de Manoel Raphael da Costa e Anna FRancisca nascida no dia 05/08/1905.
    Queria saber se tenho parentes ai da famílai Claro Silva e se algém se lembra do nome da fazenda.

    Eu sou de Sampa tenho 33 anos sou a caçula da família
    Que tiver alguam notíca
    E-mail: debora@domalfa.com.br

  17. Ivan
    Fui surpreendido por mim mesmo ao me ver “revirando” a internet em busca do “Monitor Mineiro”. Em algum ponto obscuro do meu inconsciente, o título da velha publicação deu sinais de vida. Foi assim que cheguei até vc e aos vários rostos tão conhecidos – e ao mesmo tempo, distantes – que rondavam ali, talvez em busca das sombras da torre dupla da Igreja Matriz. Parabéns a vc por resgatar sons e imagens que a maioria de nós (e eu me incluo nela) se satisfaz reencontrar nos escombros do inconsciente.

    Abraços
    Vladimir (Dimizinho)

    1. E aí Dimi? Vê se aproveita seu maravilhoso dom de escrever pra colocar uns textos aí pra gente…
      Quando vai aparecer? Estamos todos com saudades… abração!

  18. Interressado sempre em respeito pelos momentos registrados. Não podemos deixar que esses registros se esmaeçam com o tempo. Temos que mantê-los vivos para sempre. Para o sempre de todos, não só aos nossos…

    Lembrança à minha bisavó Maria de lourdes moradora da cidade de guaranésia, que posso agora preservar tantas memórias…

    Restauração de fotos
    http://www.martafotos.com

  19. Muitassssss Saudadesssssss
    Das noites em que minhas queridas primas me levavam ao cinema e depois para passear no jardim.
    Das matinês, onde se ia para pegar na mão da namoradinha, que enchia de vida a vida de infância e adolescência.
    Onde a simplicidade dos tempos ingênuos e alegres marcaram não só o coração como também a alma.
    Guaranésia dos ótimos tempos passados, daqueles tão queridos que já se foram e daqueles que ainda se encontram por lá.
    Tempos memoráveis

  20. Prof IVAN, que belo trabalho! Parabens!!!

    Nasci em GUARANÉSIA, há 50 anos resido em SANTO ANDRÉ, mas amo á minha cidade! Visito-a tres vezes por ano! A semana passada visitei a CASA DA CULTURAL.
    Continui com seu trabalho, ele é muito importante para preservar a memória de nossa cidade!

    Um abraço, Yvany

  21. Ivan

    Quero parabenizá-lo pela inciciativa.

    E com satisfação vejo que sua luta pela desenvolvimento cultural em Guaranésia produziu bons frutos.

    Tudo se inicia com um sonho.
    Seja sempre um lutador.

    Um forte abraço.

    Alexandre

  22. Lendo a postagem da Maria do Rosário, voltei ao tempo. que maravilha;
    só então pude saber quem é vc. fui aluna de sua mãe na escola de datilografia e tb fiz com ela a admissão.
    Seu irmão Ricardo, éramos colegas.
    Grata Zaia, Deus lhes pague Ivan, por momentos tão maravilhosos que fui a fundo.

      1. Ola Ivan, nao sei qual é sua idade, mas esta de parabens por ter tido esta iniciativa. Guaranesia é muito querida, nasci aí, meus avos e bisavos e meus pais tambem, tenho parentes ainda hoje que moram aí. Os Pitondos por exemplo são meus parentes, Nabi Miguel que faleceu rescentemente tambem é meu parente, Toninho guaranesía é meu primo. Eu gostqria que se possivel tambem conseguissemos descobrir nossos antepassados tenho muita curiosdade. Um abraço e parabens

  23. Querida Zaia, lendo o seu comentário aqui faz com que a nossa mente volte aos tempos, a rua, os vizinhos, os amigos. Está sendo um prazer receber sua mensagem. um beijo.

  24. Alegria com gosto de saudade… Quanta emoção ao visitar este site!
    Lembro-me de você ainda bem pequeno, querendo brincar com os marmanjões da rua Santa Bárbara de esconde-esconde na casa da sua vó Judite: nós, os irmãos Basso (eu, João Batista, Ana Teresa e Tuca); os irmãos Panissa (Elsa, Elaine, Edgar, Elvio); Raquel e Rosane Scucuglia; os primos, filhos da sua tia Lola, que saíam lá da Várzea (Norton, Luzia, Romero, Paulo Ramon…); seus irmãos (Maria Helena e Ricardo David, Dalila ainda não era nascida). D. Vera, sua mãe, e a escola de datilografia,D. Josefina e os deliciosos canudos de doce de leite, seu Onofrinho e os variados doces expostos numa vitrine fora do alcance da nossa grande vontade… As queimadas e as petecas da rua Santa Bárbara… Este site nos faz sentir gosto saboroso de infância. Beijos.Maria do Rosário ( Zaia )

    1. Maria do Rosario,,,, ,uma grande amiga de infancia, nunca esqueci das nossas brincadeiras, junto com a Rosana e a Tania e a Regina Galante.Tambem lembro dos doces da Jefina, meu Deus… os canudos… nunca comi nada igual. Lembro dos irmãos Panissa, gostaria de Saber onde esta o Elvio… e a Elza, lembro do carrinho de doces do Nofrinho. Me lembro tambem da escola estavamos na mesma classe e a Raquel tambem.e vc puder me mande noticias dessas pessoas.São amigos queridos. Atualmente moro na cidade de Americana e voltei aí no ano passado, mais so passei rapidamente. Só pra vc ter uma referencia de quem sou eu….., mora na casa em frente a Catarina Bufoni, sua mae deve se lembrar da minha, Nina e Bertinho pedreiro….Um beijão pra vc e fique com Deus

    2. Olá, Zaia, como é bom ler todas estas coisas. Me faz relembrar da Varzea, onde nasci, em 1960 e vivi até janeiro de 1977. Lembro da D.Lola, minha mãe é a D.Jorgina, e gostava muito dela. Meu pai era o Sr.Sebastião, que tinha venda na Várzea, perto da ponte. Meus irmãos, Marcelo, Eunice, Eloísa e Neuza. Vim pra Cuiabá, casei, tenho 02 filhos e há um ano aposentei pela Caixa Econ. Federal e estou cuidando de minha mãe com Parkinson e Alzheimer e de meu filho de 29 anos que não anda e não fala. Graças a Deus estamos todos bem. Guaranesia deixou saudades, queimadas, salva-latinha, descer ladeira abaixo com carrinho de rolimã, estudar no Carvalho Brito ( lembrar das professoras, até da D.Aparecida Talibertti que me chamava de xarope de limão azedo, e flor de abóbora murcha – hoje acho muito engraçado, eu devia ser muito danada), do Alice A. Dourado, das ruas onde passava, dos rios (os Vilas), as fazendas, da praça com músicas e paqueras, das festas na praça com correio elegante e tudo e do povo guaranesiano, em geral. Minha tia Dilma Medeiros, a tia Maria Guimarães (Nica),o tio Sinésio (taxista) ainda moram em Guaranesia. Você lembra de nós ou nos conheceu? Saudações. Até um próximo contato.

  25. Prezada Miriam, é um prazer receber o seu e-mail. Nós os editores do Blog Guaranésia Memória estamos contentes pelo carinho que estamos recebendo dos intenautas conterrâneos. Seja bem vinda e sempre que possível colabore nos enviando fotos antigas da família e da cidade. Muito obrigado. Ivan

  26. Eu estou emocionada ao visitar este site . Parabéns SR Ivan…Talvez lembre-se de mim.Esta casa me deixa emocionada… ai vivi férias intemináveis, junto de meus queridos parentes e minha saudosa tia Dita, ao lado moram duas primas queridas….Em cada comodo uma recordação e quando fecho os olhos consigo visulaizar cada espaço cada objeto cada passo…
    Estou emocionda com o video… nele revi meu quarto , as janelas da grande sala da frente… enfim tudo tem sabor de infancia e juventude….
    Quanta saudade quanta alegria ao ver este video… irei ai localizar minha familia … não é dificil não ainda moram alguns ai…
    Estou emocionada…
    Parabéns
    Miriam

Deixe um comentário. Sua opinião é muito importante!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s